quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Fibromialgia


Demorei... mas estou de volta!

Confesso que já sentia saudades de vir aqui. Contudo, aprendi com a EA que sempre que a vida pede uma pausa, há que fazê-la.

Estas últimas semanas foram bastante "produtivas". Eu costumo "aproveitar" cada crise que tenho para aprender um pouco mais.

A Fibromialgia é uma síndrome musculoesquelética crónica, não inflamatória e de causa desconhecida. Origina dor generalizada nos tecidos moles (músculos, ligamentos ou tendões), e os seus principais sintomas são dores generalizadas, fadiga, alterações quantitativas e qualitativas do sono e perturbações cognitivas.

Esta doença está na origem de uma incapacidade física e emocional, por vezes grave, que atinge cerca de dois por cento da população.

A fibromialgia não é uma doença psicossomática nem do foro psiquiátrico; não provoca comprometimento das articulações nem deformações de qualquer género, para além de não ser uma patologia transmissível.

No entanto, a fibromialgia consegue ser demasiado debilitante quer a nível físico quer psicológico incapacitando, muitas vezes, a pessoa quer para a sua vida profissional, social ou familiar, podendo mesmo incapacitá-la para as rotinas mais simples do seu dia a dia.

Apesar disso, a aparência da pessoa com fibromialgia é completamente normal, razão pela qual este problema tem sido bastante ignorado durante anos, pela maioria dos profissionais de saúde, que frequentemente atribuem tal problema, apenas à cabeça da pessoa.

Isso também porque todos os exames e análises não mostram qualquer alteração existente nas pessoas que sofrem de fibromialgia em relação às pessoas ditas normais.

Como se isto não bastasse, a pessoa que sofre de fibromialgia ainda tem de lidar com a família que não entende as razões de tais queixas e que em vez de promover a ajuda, ainda lhe retiram o apoio de que ela tanto precisa. E os amigos... simplesmente, não entendem porque é que estamos sempre a desmarcar este e aquele encontro.

Esta última crise foi longa - cerca de 4 semanas! Há muito tempo que não tinha uma crise assim: aliás, este ano, foi a primeira!

O que é muito bom!!! A Fibromialgia (FM) era como a EA, para mim: uma companheira no meu dia-a-dia.

Desde que alterei o meu regime alimentar - Dieta do Amido - a FM foi, tal como a Ea, atenuando. As crises mais espaçadas, menos agudas...

Atribuí esta melhoria à dieta... mas não sabia muito bem o porquê.

Com o passar do tempo, fui-me apercebendo que, o facto de ter introduzido três suplementos alimentares ao meu regime alimentar, poderia estar na solução de tal enigma.

Potássio, Cálcio e Magnésio. Estes minerais são uma resposta excelente à necessidade de Equilíbrio Ácido – Base, que o nosso organismo tem.

Eu sou uma pessoa muito - mesmo muito – preguiçosa para tomar medicamentos!!! Detesto tomar seja o que for, mesmo que esteja a “morrer”... então, sempre que os suplementos acabavam eu, simplesmente, esquecia-me de ir comprar mais. Uns dias sem tomar estes comprimidos e... uma crise!

As primeiras vezes, confesso, não associei estas crises com a falta destes suplementos. Mas, o meu marido – sempre atento – perguntava-me sempre: “Olha lá, tens tomado os tais comprimidos?”

E, não é que sempre que voltava a tomar o Potássio, Cálcio e Magnésio, as crises passavam?

Comecei a fazer pesquisas e depressa cheguei à conclusão que a FM deveria ser resultado de um desequilíbrio ácido – base, no meu organismo. Mas, nunca me convenci disso, totalmente. Afinal, quem sou eu para descobrir semelhante coisa? Afinal, se fosse assim tão simples, os investigadores teriam chegado à mesma conclusão!

Esta Grande crise que tive veio dar-me a certeza que um desequilíbrio ácido – base está, de alguma forma, relacionado com a FM.

É claro que o Stress é um dos grandes desencadeadores da fibromialgia. Mas, sem dúvida, que se tentarmos equilibrar o ácido existente no nosso organismo, consegue-se uma melhoria acentuada nos sintomas desta doença.

Vivendo e aprendendo!!!

Sem comentários: