sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

EA, Alan Ebringer, o gene HLA-B27 e Klebsiella Pneumoniae


Os últimos meses de 2007 foram, de facto, bastante dolorosos. Desesperada, resolvi iniciar a dieta que o meu marido havia feito, para tratar a Doença de Cronh. Depois de dez anos a sofrer, o meu marido encontrou a cura total numa dieta que Elaine Gottschall descobriu - após anos de pesquisa – para ajudar a sua filha, que padecia de Doença de Cronh.


De facto, eu não tinha esta doença. Contudo, já tinha lido vários textos que falavam numa relação directa entre a alimentação e a maioria das doenças auto-imunes.

À procura de receitas – já que muitos dos ingredientes, a que estava habituada, eram proibidos – descobri um site bastante interessante:
Izorrategi.

Neste site, fala-se de Dieta Sem Amido, Alan Ebringer, do gene HLA-B27 e da Klebsiella Pneumoniae.

Li e descobri coisas que eu não fazia ideia que existiam... resolvi pesquisar mais sobre estes tópicos e, no fim, ficou a pergunta: "Mas por que é que nunca ninguém me falou nisto?"

Alan Ebringer, Professor de Imunologia no King's College, University of London; Consultor Honorário em Reumatologia na Escola de Medicina de Middlesex Hospital; Consultor de Doenças Auto-imunes no Instituto Nacional da Saúde, Washington, defende o mimetismo molecular para explicar a relação entre a alimentação e a Espondilite Anquilosante.

Aqui, encontramos uma breve exposição onde se explica a ligação entre a Espondilite Anquilosante, a Klebsiella Pneumoniae e o Gene HLA-B27, segundo o Professor Alan Ebringer.

Muito sucintamente, tudo se resume ao seguinte:

A espinal medula é responsável pela produção de anti-corpos. O intestino grosso e a espinal medula estão bastante próximos, dentro do nosso corpo.

No intestino grosso encontra-se a Klebsiella Pneumoniae. Este bacilo tem uma estrutura bastante similar à estrutura do gene HLA-B27 (Human Leukocyte Antigen B27, moléculas presentes na maioria das células, especialmente em doentes com ea). Por essa razão, os anti-corpos responsáveis pela destruição do bacilo, destroem também as células deste gene.

A destruição das células do gene HLA-B27 causa a deterioração da coluna vertebral, causando a inflamação e, consequentemente, as dores.

Ao reduzir a população de bacilos Klebsiella, diminuí a produção dos anticorpos responsáveis pela sua destruição. Logo, as células do gene HLA-B27 não são destruídas e, assim, a inflamação decresce fazendo a dor desaparecer.

Os bacilos Klebsiella alimentam-se de açucares derivados de amido - um carboidrato complexo, composto de moléculas longas de açucares que se encontra no pão, batatas, bolos e massas. Quando se dá a digestão dos alimentos - processo de desagregação da comida no estômago e Intestino delgado - o amido não digerido entra no cólon (intestino grosso).

Estes bacilos vão se alimentar de amido não digerido que se existe nos alimentos consumidos pelo paciente nas últimas 3\4 horas.

Segundo a teoria de Alan Ebringer, quando um paciente (com ea) come alimentos amiláceos (pão, batatas, bolos e massas), os bacilos Klebsiella alimentam-se do amido presente e multiplicam-se. Em seguida, o sistema imunológico do paciente produz anticorpos contra o microorganismo e alguns destes anticorpos terão actividade, também, contra as células HLA-B27 - contra o colágenos da coluna, olhos (uveíte) e outros orgãos.

Foi depois de muitas pesquisas, que Alan Ebringer chegou à Dieta Sem Amido.

1 comentário:

Anónimo disse...

Olá, De facto foi um achado ler o seu testemunho.

Mas ficou-me uma dúvida:

Eu tenho Crohn e Espondilite Anquilosante (primeiro , há cerca de seis meses foi-me diagnosticado a espondilite devido à recorrência de uveites e a dores persistentes nas sacroiliacas, depois foi-me aconselhado a fazer uma colonoscopia e verificou-se a existência de úlceras no intestino delgado as quais foram associadas a crohn. Devo fazer a dieta que o seu esposo fez ou a que a senhora faz?

Ou é a mesma dieta? Uma dieta sem amido?

Muito obrigado pelo excelente trabalho aqui expostos. Um verdadeiro serviço ao próximo.

Cumprimentos,
Nuno