domingo, 25 de janeiro de 2009

Doenças Crónicas? Não me parece...


Desde que descobri que existiam doenças ditas crónicas que se podiam tratar mudando o regime alimentar, tenho procurado saber cada vez mais sobre o assunto.

Tenho lido muito sobre a relação que existe entre a alimentação e a saúde.

A comunidade médica começa a reconhecer que existe essa relação e as pesquisas sobre o assunto crescem consideravelmente.

No caso da Artrite Reumatóide ser uma doença inflamatória crónica, de causa ainda desconhecida, existem vários testemunhos de pessoas que conseguiram resultados fantásticos com a mudança de hábitos de alimentação.

No ano passado, descobri Conquering Arthritis, de Barbara Allan. Este livro relata história de uma jovem que, com apenas 25 anos ficou numa cadeira de rodas, devida à Artrite Reactiva.

Depois de muitos anos em grande sofrimento, depois de os médicos lhe dizerem que não havia mais nada a fazer, Barbara Allen dedicou mais de uma década ao estudo.

Com a ajuda de amigos – porque a maior parte do tempo estava acamada ou, simplesmente, não conseguia segurar num lápis ou escrever no computador – Barbara Allen começou por ler sobre as mais recentes pesquisas relacionadas com a investigação científica sobre as causas da artrite e de possíveis novos tratamentos. Serviu-se do facto de estar a tirar o Doutoramento em Biologia Molecular na Universidade Washington em St. Louis (onde se fazem as maiores pesquisas médicas no país).

Depois de toda essa pesquisa, Barbara Allen começou a testar tudo que havia aprendido em si mesma. Pesquisas, testes e mais testes levaram-na da cadeira de rodas à bicicleta. Além de fazer vários kilometros em bicicleta, Barbara também pratica artes marciais.

O livro que escreveu fala em “nove segredos” para curar a Artrite:

1- Como os alimentos podem estar causando problema sua artrite;

2 - verificar a existência de alergias alimentares, sensibilidades e intolerâncias;

3 – Considerar o jejum terapêutico como uma forma de activar o processo de cura;

4 – Se o teste for positivo para algum alimento:

(a) aprender a evitá-los;

(b) aprender a adquirir alimentos seguros;

5 - Se o teste for positivo para algum alimento, tomar medidas para eliminar as causas subjacentes;

6 - Tome suplementos e comer alimentos que especificamente promover a o processo de cura da artrite;

7 – Substituir o círculo vicioso do stress\tensão pelo relaxamento e redução da dor utilizando meditação;

8 - Aprenda estratégias que irão permitir que você faça o máximo de exercício, mesmo que você está muito fraco ou muito doente;

9 – Tratar a dor e a rigidez.

Resulta? Acredito que sem tentar, não se aprende nada.

Quando o meu marido – na altura, um amigo – me contou que tinha curado a Doença de Cronh, eu não acreditei - "doenças crónicas não têm cura, por isso são crónicas, disse eu". Mas é verdade era mesmo essa. Ele conseguiu curar-se e o médico que o acompanhava há mais de dez anos, depois de lhe ter feito duas colonoscopias, pediu-lhe que fornecesse toda a informação sobre o regime alimentar que o havia curado.

Eu descobri a “dieta sem amido” por acaso. Em sites estrangeiros claro... infelizmente, em Portugal nada se sabe...

Eu sei distiguir cada sintoma que terei se comer este ou aquele alimento que não seja indicado para mim. Porque fiz o que a Barbara Allen fez: fiz experiências em mim mesma... e continuo a fazê-las.

Se este regime vai resultar? Só tentando!

Não vai ser fácil... mas continuo a dizer que não é impossível. E mais vale tentar e descobrir que não resulta que levar uma vida sem saber se resultaria ou não...

Sem comentários: