sexta-feira, 31 de julho de 2009

Uma Questão de Atitude







O copo está meio cheio...



...ou meio vazio?




Conheço duas raparigas com mais ou menos a mesma idade. Começaram a dieta sem amido mais ou menos na mesma altura. Uma tem cada vez mais dores, a outra já frequenta a praia [e até já cometeu um pecadito, ai, ai...].

Porquê? Porque uma já sente diferenças e a outra não?

Eu sei que existem casos em que a dieta pode não resultar. Os motivos são-me alheios. A mim e aos cientistas que descobriram esta dieta e a relação que há entre os polissacarídeos (o amido) e a ea.

Esta é uma pergunta que me persegue: porque é que comigo resultou e com a minha amiga não? Será uma questão de química? De genes? Ninguém sabe...

Não obstante, no caso destas duas raparigas, acredito que os resultados (ou a ausência deles) devem-se a uma questão de atitude.

Conversamos muito - via mail. Tanto uma como a outra iam partilhando comigo os seus medos, dificuldades, dúvidas...

Desde o início que ambas encararam este desafio com uma atitude completamente diferente.

Uma garantiu-me que, apesar de não ter o apoio da família, de estar deprimida, de se sentir sozinha, de estar em constante dor, não iria desistir porque acreditava que a dieta poderia ser a solução. Seguiu a dieta religiosamente... e já está a conseguir.

A outra, pelo contrário, sempre acreditou (demasiado) na possibilidade da dieta não fazer qualquer efeito. A atitude perante a dieta, sempre foi de desconfiança. Não seguiu a dieta como se impõe que seja seguida e esta dieta só resulta se for seguida com todo o rigor. Está a pensar em desistir da dieta. Continua com crises constantes, cada vez piores... eu perguntei-lhe o que ganharia em desistir da dieta, já que nem todos conseguem resultados imediatos, e porque é preciso dar tempo ao osrganismo de se curar... não obtive resposta.

Já aqui falei que, para mim, a dieta resultou, não por uma questão de fé. A fé é muito importante, fundamental para uma pessoa que tem uma doença, que está com dores. No meu caso, eu tinha perdido a fé em tudo.

Mas não perdi a minha atitude teimosa, perfeccionista. Se tens que fazer alguma coisa, fá-la bem feita... ou então, não faças. Este sempre foi o meu lema. E foi graças a ele que consegui vencer a ea.

A dieta obriga-nos a ser perfeccionistas. Se alguém quer, de facto, experimentar este caminho tem que o fazer com Atitude. Sem ela... nada feito. Não se pode comer? Então não se come. Ponto.

Infelizmente, tenho uma amiga que seguiu a dieta com Atitude mas que não conseguiu. Mas, sei que ela foi até ao fim e só desistiu na hora certa. Sei que sofreu muito, que poderia ter desistido muito mais cedo... mas, não: quis ter a certeza que a dieta não funcionava, não por falta de força, por falta de atitude, mas por outra coisa qualquer, seja química, seja genética...

A quem estiver a iniciar a dieta eu gostaria de deixar, aqui, uma palavra de força. Muita coragem... e principalmente, Atitude. São muito mais os que conseguiram do que aqueles que não obtiveram respostas.

Sem comentários: