quinta-feira, 22 de outubro de 2009

"Estás a ficar marreco"... e outros mimos.

- Será um direito permanecer ignorante?
- Não sei, mas eu recuso-me a descobrir...

Quem tem ea passa por cada situação... como se não chegasse tudo o que uma doença crónica degenerativa e incapacitante acarreta ainda temos que lidar com a ignorância da sociedade.

Tenho um querido amigo que, ultimamente, tem sido alvo dos comentários mais incríveis. "Estás a ficar marreco" é uma daquelas frases comuns à ea. Tenho uma outra amiga que foi insultada enquanto atravessava a estrada - na passadeira - porque estava a andar muito devagar.

Eu mesma já fui humilhada por uma senhora no autocarro. Estava com tantas dores que nem conseguia equilibrar-me. Sentei-me no único lugar que estava livre, só para conseguir guardar a carteira, já que iria sair na paragem seguinte. Mas, entrou uma grávida e eu não a vi.

A senhora que estava sentada à minha frente começa - alto e em bom som - a disparatar comigo. Porque os jovens de agora bla blá blá, porque já não há respeito por ninguém, porque no meu tempo é que era...

Esta senhora ( se é que eu a posso chamar assim...) nem me deixou falar. Porque eu já ía sair e foi só para guardar a minha carteira...

Quem era esta senhora? Pertencia ao grupo visado na sinalética destes lugares específicos? Não parecia: não estava grávida, não tinha nenhuma criança ao colo e, da maneira como estava a esbracejar quase aos pulos, não parecia ser deficiente físico ou estar com qualquer dor (ao contrário de mim, infelizmente).

Esta senhora conseguiu deixar-me a chorar: de vergonha, de nojo de mim.

Muitos de nós já tivemos que enfrentar a ignorância desta sociedade que está cada vez mais estúpida e insensível. Eu deveria ter sentido vergonha e nojo, sim. Mas não de mim. Decididamente, não de mim...

1 comentário:

Miguel disse...

Aka... povinho ignorante? Não. Ignorante é pouco, desculpa lá! Eu também já cá tenho a minha conta de comentário idiotas de pessoas sem nome (sem nome porque não quero ser mal educado no teu blog, claro).